Há alguns dias fui ao circo pela primeira vez. Apesar de as atrações não me prenderem tanto a atenção, o fato de estar ali no circo atingiu todos os meus sentidos. A iluminação em meio a tenda escura e a própria escuridão da noite me envolveram ao momento em que estava ali. A fumaça saindo do palco e se espalhando pela platéia como neblina evocava uma espécie de sonho. E finalmente, a atmosfera caramelizada que rodeia e preenche toda a tenda foi o detalhe que incrustou não só em minhas roupas como também em minha memória. Continuar lendo “O Circo da Noite, Erin Morgenstern”